Duas pessoas morrem em desabamento de prédios no Rio de Janeiro

Muzema, zona Oeste do Rio

Desabamento atinge dois prédios na comunidade da Muzema, na Zona Oeste do Rio — Foto: Reprodução/ TV Globo
0 32

Dois prédios desabaram na Muzema, comunidade na Zona Oeste do Rio, na manhã desta sexta-feira (12). Os imóveis têm cerca de quatro andares. Dezenas de pessoas e bombeiros vasculham os escombros para tentar localizar vítimas.

A Prefeitura do Rio de Janeiro informou que as construções que desabaram são ilegais. Moradores afirmam que há pessoas sob os escombros. Pelo menos duas pessoas foram resgatadas, entre elas uma criança.

O desabamento aconteceu por volta das 7h desta sexta-feira (12). Uma das construções tem quatro andares e outra tem três. A área de isolamento foi ampliada pelos bombeiros, que consideram que outros prédios da região podem ir abaixo. Há um forte cheiro de gás.

Segundo o repórter Genilson Araújo, há cerca de 60 prédios em construção na região. Reportagem do RJ2 mostrou que os criminosos atuam na construção e venda de imóveis irregulares.

Um ferido foi retirado por moradores e levado para o socorro do Corpo de Bombeiros. Ele foi colocado sobre uma porta, usada como uma maca improvisada.

De acordo com ela, os moradores estavam preocupados com as consequências da chuva e as construções que não paravam.

“Eles construindo sem fim, sem parar. Uma construção atrás da outra, uma loucura. Era retroescavadeira, explosões constantes. Só querem construir e vender”, afirmou a moradora. Edvaldo, morador do primeiro andar do prédio, disse que teve que correr para conseguir escapar. Ele tem escoriações na perna.

A Muzema foi uma das áreas mais atingidas pelo temporal que caiu no Rio. A cidade está em estágio de crise desde segunda-feira (8). O desabamento aconteceu em uma das áreas mais elevadas da comunidade, perto da mata.

Na manhã de quinta-feira (11), a principal avenida de ligação do bairro, que também dá acesso ao Rio das Pedras, continuava alagada e interditada. Outro morador, chamado Ronaldo, contou que as construções são novas. (Informações do G1)

Comentários
Carregando Comentários...